A ordem do faraó foi criada por Quéfren um dos reis do Egito da quarta dinastia, que construiu as pirâmides de Gize para ocultar um grande poder vindo dos céus, essa ordem até os dias de hoje tem o objetivo de escondê-lo, tal segredo se descoberto e em mãos inescrupulosas pode levar a humanidade ao caos absoluto diante disso Liah Gorski, Pablo Cortes e Marc Lawford, três jovens que vivem em diferentes partes do mundo, Varsóvia, Cidade do México e Londres respectivamente entram na trama principal do livro de maneiras e por razões diferentes, cada um com seu protagonismo.

“Sentia muito frio e um vazio tremendo em sua alma. Colocou em cheque toda sua existência até aquele momento, o que tinha feito e se tinha valido a pena. Depois, pensou apenas no futuro que não teria junto de Maria e Pablo. Nessa hora a dor cessou, o coração parou de bombear o sangue para o resto do corpo e, com a missão cumprida, Isac descansou em paz”.

Saudações, caro leitor! Tudo bem?

Aguardei ansiosa pela chegada do meu exemplar da obra A Ordem do Faraó, após o convite do autor Herlon Oliveira @escritor_herlon_oliveira para parceria. A expectativa era grande, pois desde que me conheço por gente, sou amante das maravilhas do Egito e o Herlon cumpriu o seu papel, excedeu o que eu esperava.

O livro narra a estória de uma antiga sociedade secreta através dos vieses dos três personagens principais: Pablo Cortez, Liah Górski e Marcus Willian Lawford II.

Pablo é La Bruja, órfão sobrevivente da vida cercada de violência, um batalhador bem articulado e persuasivo, chefe do distrito de San Miguel Teotongo na Cidade do México. Liah é Paj, estudante do último ano de Engenharia da Computação, introspectiva, dotada de uma inteligência fora do comum e também habilidosa hacker de Varsóvia. Marcus é Marc, filho de um dos homens mais poderosos do mundo, único herdeiro das empresas Lawford de Londres, sempre teve tudo: e será que tudo é suficiente?

Os jovens que vivem em diferentes regiões do mundo e em distintas circunstâncias de vida, acabam por conectar os seus caminhos na busca de respostas aos seus questionamentos.

O autor foi muito feliz na criação e desenvolvimento do enredo, descrições dos personagens e dos cenários. Herlon soube amarrar todos os trinta e três capítulos, os costurou com maestria, intercalando as estórias de cada personagem até que elas se encontrassem. A cada página lida, a necessidade de descobrir a próxima aumenta.

A leitura nos permite um elevado nível de envolvimento, ela nos faz submergir por completo na trama, de tal forma que a estória se torna história, pois vivemos tudo junto com os protagonistas. Amor e ódio. Alegria e tristeza. O bem e o mal. Confesso que por mais de uma vez me vi arrepiada e com lágrimas nos olhos.

Feito de mistérios, reviravoltas e surpresas, o livro é, na minha modesta opinião, uma “ficção-prima” e espero ainda vê-lo ocupar o seu lugar de direito: um best-seller da nossa Literatura Nacional.

Se tu leste até aqui, não te restam dúvidas: obra mais do que recomendada!

“Ali também existia uma grande história com uma linda filosofia sobre o poder e a forma com que ele pode corromper as pessoas”.

Resenha de: Carola Luz

Blog: Escreveloei

Resenha cedida pelo autor para efeito de divulgação. Todos os direitos do resenhista e blog foram mantidos.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here