Andreia Camargo

0
472
  1. Fale-nos um pouco de você. (Biografia)

Nasceu em 02/03/1958 Natural do Rio de Janeiro, Brasil. Uma escritora eclética, começou a escrever aos quatorzes anos de idade. Autora de vários livros: Romances Policiais, Poemas e Poesias, Biografia do Vodum no Brasil, Vocabulário de língua Fòngbè, Livros Infantis e muitos outros. Vive atualmente na Europa, há mais de vinte anos.

Email da autora: vanni.camargo@gmail.com

  1. O que você fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

Tenho uma vida muito ativa, além de dona de casa, cuidando do lar e do marido, distribuo o meu tempo fazendo aquilo que mais amo que é escrever. A minha inspiração surgiu em tenra idade, aos quatorze anos  escrevi o meu primeiro livro infantil.

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

O prazer da escrita vem com a inspiração do momento. Em eu sendo uma escritora eclética, não tenho um gênero focado em particular, todos os gêneros me atraem quando estou inspirada.

  1. Você tem um cantinho especial para escrever? (Envie-nos uma foto)

Não tenho um local em particular, escrevo em qualquer lugar, onde chega a inspiração. Com o meu tablet muitas vezes escrevo até mesmo em locais públicos.

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

Sou eclética, escrevo desde Romance Policial, Espionagem, Infantil, Didáticos, Poemas, Poesias, Ficção, etc. Basta aparecer a inspiração.

  1. Fale-nos um pouco sobre seu (s) livro (s). Onde encontra inspiração para títulos e nomes dos personagens?

Como já descrevi, é uma questão de inspiração, que surge de repente, não é nada mecanizado, é automático, nasce do meu momento.

Operação Babilônia II O Armagedon, faz parte de uma trilogia. São três livros de espionagem, todos com finais independentes, contando a história de uma espiã que luta contra organizações de criminosos com o intento de destruir os governos democráticos do nosso planeta.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

O livro nasce de uma inspiração, depois através de pesquisas em bibliotecas, internet, etc. Ele vai se materializando aos poucos, dependendo da inspiração e da minha intuição. Muitas vezes o nascimento é rápido.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Nunca me inspirei em autores, tenho muito cuidado com plágios. Faço de tudo para que no momento da criação meus livros não entrem na história de terceiros. Evito ler outros autores no período que estou criando.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Nunca houve esse problema. todos sempre foram bem aceitos.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

Estamos num momento crucial, vários novos autores de talento estão surgindo, tudo que é novo apavora o conservadorismo, mas devemos abrir nossos horizontes e enxergar os grandes talentos de autores jovens que vem surgindo. Hoje a facilidade de publicar um livro é bem mais fácil que há vinte anos atrás.

  1. Recentemente surgiram várias pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Acho que é importante ter concorrência em todos os setores, isso faz parte da democracia e da globalização. Neste mundo literário todos são bem vindos, não devemos ter preconceitos por ninguém, até mesmo um péssimo texto hoje, poderá se tornar no futuro, a obra prima de um gênio. Assim foi no passado.

Vários escritores que foram criticados no século passado, hoje são venerados.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

Como tudo no Brasil, há sempre um pouco de exagero em querer levar vantagem. Penso que deveria haver um pouco de consciência de quem os comercializam. Tudo fora do Brasil é sempre mais barato. Por que será?

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

Gone with the Wind …E o vento levou. Autora: Margaret Mitchell

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da música + cantor)

Uma trilha sonora para os meus livros, seria extensa a lista, visto que já escrevi mais de vinte livros, mas para Operação Babilônia II eu escolheria “Goldfinger” escrito em 1964 por: John Barry, Leslie Bricusse, Anthony Newley, cantado na voz da grande Shirley Bassey.

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

Ainda não o encontrei.

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Estou sempre criando, acabei de lançar o romance O Sopro do Vento, o meu maior trabalho com mais de 600 páginas.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Não acompanho, mas acho que criticas são sempre bem vindas. Nos ajudam a crescer e melhorar o nosso trabalho.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Não tenho uma preferência em particular. A minha satisfação é saber que um grande número de pessoas leia o meu trabalho, independente de quem seja. O público em geral, a massa, é o público mais importante. Sem o povão, os escritores não são ninguém.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

Saber que as pessoas estão adorando o seu trabalho.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

Continuem escrevendo, não desanimem, não se preocupem com as críticas, use-as como uma forma de evoluir o seu trabalho, nunca desista. Escrevam sempre. Se atualizem e usem a criatividade. Criem bastante.

Eu estou muito honrada pela entrevista. Gratidão pelo excelente trabalho.

www.andreiacamargo.com

Amazon

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here