1. Fale-nos um pouco de você.

Sou paraense, de Vila de Juaba, município de Cametá. Casada e mãe de três filhos e agora tenho uma neta. Trabalho como professora da Educação Básica e Superior.

  1. O que você fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?  

Sempre estive envolvida no mundo das letras. Desde muito cedo, aprecio a leitura de contos, poemas, romances. Profissionalmente, como professora de Língua Portuguesa, leio muitos livros, sobretudo,  da literatura nacional,  e como aluna de Doutorado em Linguística, estou lendo bastantes livros que tratam da área dos estudos linguísticos. A minha inspiração vem, principalmente, do mundo encantado da escrita e dos acontecimentos da vida

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

É o transportar-se para um outro mundo; é alimentar-se de sonhos e fantasias.

  1. Você tem um cantinho especial para escrever? (Envie-nos uma foto)

Tenho uma sala exclusiva para estudo e leituras.

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

Literários, escrevo crônicas, contos e poesias. Escrevo também artigos, resenhas e livros técnicos-científicos na área de Língua Portuguesa. Ainda não tentei escrever romances.

  1. Fale-nos um pouco sobre seu (s) livro (s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

O Voo rasante é um conto de empoderamento escrito para a Antologia Elas eram princesas. A inspiração veio da ascensão da mulher no mundo profissional.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

Geralmente, viajo para um universo de  vivências lidas, associadas às situações de acontecimentos do dia a dia.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Não me inspiro, exclusivamente, num autor;  o que alimenta a minha escrita é  a somatória das leituras de bons autores, como Machado de Assis e Graciliano Ramos, Guimarães Rosa, entre outros, na prosa. E na poesia, Carlos Drummond de Andarde, Cecília Meireles e Manuel Bandeira.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Até hoje tenho dificuldades em publicar livros, pois me falta tempo para organizar os vários escritos que tenho guardado, bem como, me faltam recursos financeiros suficientes para arcar com  o valor exorbitante de determinadas  publicações.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

Embora estejamos convivendo com uma tecnologia avançada, o que nos permite viver mergulhados num universo de textos literários, ainda no nosso país,  há muita gente que não faz da leitura uma prática.

  1. Recentemente surgiram várias pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Com a expansão da informação, muitos se aventuram no mundo da escrita, apenas pelo fato de se acharem “escritores”, “poetas”,  no entanto, faltam-lhe conhecimento necessários do que seja um bom texto  literário, daí muito do que é lançado no mercado não  consegue agradar a um público leitor.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

Essa é uma questão muito séria, pois há livros muito caro no mercado.  E como comprar livros, se a maioria  da  população brasileira é  carente e desassistida? Outra situação, é o custo elevado que as editoras cobram para a publicação de um livro. Ou seja,  muito preciso ser feito para que os preços do livro sejam acessíveis no nosso país.

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis.

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da música + cantor)

Seria difícil escolher músicas especiais, num universo de tantas músicas que eu aprecio,  mas, certamente, embalaria a leitura com  músicas de Elis Regina, Chico Buarque Clara Nunes e Maria Bethânia.

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

Vidas secas, de Graciliano Ramos.

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Pretendo organizar o meu livro de crônicas e um de poesias.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Por falta de tempo, quase não acompanho esse tipo de crítica. Mas acho interessante para o crescimento do autor.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Eu gostaria que um livro meu fosse lido nas escolas por alunos, professores, comunidade escolar em geral.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

Ver um livro seu publicado.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

Escrever é uma das mais finas artes. Por isso, prezados leitores, aventurem-se no mundo da leitura, pois quanto mais conhecimento vocês adquirirem, mais capacidade terao de dialogar com o mundo. E aos leitores que já estão adentrando ao ofício de escrever,  comecem a colocar no papel os seus pensamentos. Escrevam, reescrevam; contem e recontem.  Deixem-se transportar pelo universo enigmático das letras.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here