Depois que te vi – Manu Sousa

2
991

“Se você quiser ficar comigo, se for esse o seu desejo, eu serei teu. Amor, eu sou teu. Hoje. Agora. Indefinidamente. Porque mesmo que você não me escolha, na minha alma eu te escolhi. E ainda que meu corpo não puder estar perto do teu, minha alma sempre estará do teu lado.”

Em Depois que te vi temos o retorno do encantador casal Nicolas e Catarina do primeiro volume da duologia À primeira vista, o Então eu te vi. Começando praticamente do mesmo ponto onde o primeiro volume parou, a continuação continua a arrancar suspiros e roubar o fôlego dos leitores. Enquanto o casal da atualidade firma seu relacionamento após a romântica viagem ao chalé de Nicolas, onde Catarina reviveu a segunda vida deles na Escócia do século XIII d.C. Para aqueles que não conhecem este romance de Manu Sousa, a autora criou uma lenda original para a criação das almas gêmeas. Os protagonistas são uma única alma que foi dividida em dois – a separação foi dolorosa e traumática –, por isto, lhes foi permitido que se reencontrassem na Terra. Entretanto, para que fiquem juntos, precisam superar o carma e as adversidades mundanas. A atualidade é a quarta vida do casal e, pela primeira vez, eles têm consciência do que são e das vidas anteriores.

Superar os problemas acumulados durante séculos quando ainda se tem que lidar com as dificuldades atuais não é nada fácil. Em Depois que te vi conheceremos novos personagens, como os pais de Nicolas e seu irmão, Fausto e Mônica, a amiga de infância que temos um pequeno vislumbre dela no final do livro um. Mentiras e intrigas tentarão separar o nosso querido casal enquanto Catarina relembra da última vida no Paraguai do século XVIII d.C.

“Bem mais calma, pude, enfim, derramar algumas lágrimas. Elas não eram de dor, nem de tristeza, mas sim de alívio. Alívio por estar fora daquela vida. Alívio por não ser mais aquela Catarina. Alívio por ter Nicolas ao meu lado sem empecilhos.”

Não irei me ater ao presente para evitar spoilers, mas preciso falar das vidas passadas. Eu amei o Nicolas general romano de Então eu te vi, porém o Nicolas chefe do clã escocês me conquistou. Das três vidas passadas, foi a que mais gostei. Ele é mais jovem e impulsivo, já a Catarina é mais centrada e madura. Quando eles se unem, o encontro é explosivo. Há uma carga emocional que nos transporta para a Escócia remota. Já a Catarina índia e o Nicolas jesuíta foi um encontro rápido e intenso, porém essencial para alguns aspectos de grande influência no tempo atual. Ficaram curiosos para saberem quais? Terão que ler para descobrir! Quem adora um romance envolvente que mistura o antigo e o moderno, conheça a duologia À primeira vista, completa na Amazon e físico do primeiro volume diretamente com a autora.

 signature

2 Comentários

  1. Parece uma história muito boa. Parabéns pela resenha, gosto dessa ideia de vidas passadas e almas gêmeas. É interessante imaginar o presente como consequência de ações realizadas ou situações passadas em outras vidas.

  2. Gostei do livro, pelo o que me parece a história não fica a desejar, e gosto de romances com continuações… menos a garota do Calendário, porque 12 meses… vou te contar…
    Parabéns pela resenha, vou procurar o livro.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here