No Brasil, todo ano, 250 mil pessoas desaparecem sem deixar vestígios. Desse total, 40 mil são menores de idade, dos quais um terço são meninas destinadas a fins sexuais. Muitas escapam ou são encontradas, contando histórias terríveis; outras nunca mais são vistas com vida. Laura foi raptada e jogada no fundo de um buraco por um completo desconhecido. Ela vê sua vida mudar, e passa a descrever com detalhes íntimos cada dia, cada ato, cada dor que o sequestro e o aprisionamento lhe fazem passar.

Minhas impressões

Estava num hiato com os livros da Darkside. Estava viciado nos títulos da editora e não lia mais nada. Posso dizer que esse “hiato” não mudou nada, continuo viciado e só perdi tempo =)

Peguei o primeiro livro que vi na área reservada para a Darkside na minha estante… E que livro!

Antes mesmo de falar sobre qual assunto o livro aborda, posso dizer que infelizmente é uma realidade no nosso país e pouco é feito pra mudar esse cenário.

Por toda a eternidade, estaremos balançando lanternas na escuridão, chamando seu nome, nunca cansaremos de te procurar. Se conseguir escapar, volte para casa. Mas, se não conseguir, permaneça viva, estamos indo buscar você!

Claro que o livro traz acontecimento maiores que na realidade, por questões de narrativa, mas ainda assim muito do que acontece com a personagem principal, tem base em fatos.

Somos apresentados à Laura, uma jovem que escravizada sexualmente. Ela é mantida em um buraco na terra, satisfazendo os desejos nefastos de seu captor. O que acaba tornado o livro mais assustador, é o fato de o livro ser ambientado no Brasil. Isso traz uma realidade ao livro que não seria possível em uma localidade fictícia.

Olhei para ele, olhei em volta. Um momento ímpar.
Casais, pais e filhos, mães e amigas. Todos ali se divertindo, conversando, comemorando ou discutindo assuntos diversos, e eu, ali, sentada com um matador de meninas, um psicopata.

Diário de uma escrava é minucioso, as vezes até agressiva nos detalhes. Porém não achei nem um pouco desnecessário. Isso ajuda a formular e fixar na cabeça do leitor a gravidade desses acontecimentos.

O que posso falar, sem dar nenhum spoiler é que o livro, principalmente o final, não é nada convencional. Confesso que esperava algo totalmente diferente, mas valeu.

A rotina nos joga na realidade da vida, nos obriga a esquecer certas coisas e somos empurrados para o dia a dia, mesmo que não seja este o nosso desejo.

Enfim. Recomendo o livro, principalmente por se tratar de uma ótima obra nacional. Darkside tem arrebentado nesses títulos nacionais, mostrando que sabemos fazer bom terror. A autora, Rô Mierling, conseguiu ser detalhista sem sobrecarregar a trama. Conseguiu transmitir bem a angústia, raiva, tristeza da personagem principal, de forma que você começa até a formular planos de fuga. Vale a leitura e vale lembrar também que não é um livro pra crianças =)

Até a próxima.

Resenha de: Karina Vorozheeva

Blog: Estante dos Sonhos

Resenha cedida pela autora para efeito de divulgação, todos os direitos do blog e resenhista mantidos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here