Giliard Manenti Votri

0
248
  1. Fale-nos um pouco de você.

Moro em uma pequena cidade no sul de Santa Catarina, onde nasci e cresci com meus pais, meu irmão e nossas 3 gatas, sou formado em Bacharel e Licenciatura em Artes Visuais.

Minha mãe sempre gostou muito de ler, e foi dela que herdei a paixão pelos livros. E a paixão pelo terror devo ao meu irmão que desde quando eu era pequeno trazia VHS de terror para assistirmos juntos. Nunca me esqueço quanto tinha 10 anos e ele trouxe o Exorcista, filme baseado na obra do Willian Peter Blatty, fiquei sem dormir direito por uma semana. E dai em diante não parei mais, todo final de semana era um filme diferente e mais noites aterrorizado haha. Junto aos filmes de terror meu irmão me apresentou os Ramones, a banda de punk rock que mudou minha vida. Foi através dos Ramones que eu conheci um sujeito chamado Stephen King. Já com uns 15 anos fui atrás de saber quem era esse escritor para qual o Ramones tinham feito uma de suas melhores músicas. Depois do primeiro livro do mestre não consegui mais parar. E desde então venho conciliando meus dias com filmes, livros de terror e uma boa dose de rock n roll.

E agora finalmente dando esse grande passo, que é fazer parte da turma que sempre esteve do outro lado, escrevendo histórias de terror.

  1. O que você fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

Atualmente sou Designer Gráfico, e Sócio da marca de Camisetas Philip Dilis. Minha inspiração normalmente vem dos livros de terror, dos filmes, e principalmente do dia a dia. Sempre há histórias por ai ainda a serem escritas. 

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

Depender apenas das minhas ideias, não há limites além daqueles que eu mesmo me impuser, se será lido ou não ai é outra história, mas de qualquer modo é libertador.

  1. Você tem um cantinho especial para escrever? (Envie-nos uma foto)

Costumo escrever no meu quarto na escrivaninha, na maioria das vezes tenho o prazer de ter como companhia uma de nossas gatas que deita ao lado do notebook para acompanhar minhas ideias.

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

Desde muito cedo tive e tenho um certo amor pelo terror, suspense. Gêneros pelo qual me identifiquei assim que comecei a escrever. Na verdade ainda não me aventurei por outros gêneros, mas é uma experiência que brevemente quero encarar.

  1. Fale-nos um pouco sobre seu (s) livro (s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

Depende bastante, geralmente costumo deixar fluir a história e só depois escolher algo impactante para o título, que soe interessante e sobre tudo que faça sentido ao texto. Sobre os personagens, também depende. O personagem precisa de um nome que se encaixe no universo no qual está inserido e claro que seja agradável e marcante ao mesmo tempo.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

Geralmente procuro em sites, livros de referências, revistas. Depende muito

da ambientação, se necessário pesquiso até mesmo histórias verídicas.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Minha maior inspiração sem sombra de dúvidas é o mestre Stephen king, e seu filho Joe Hill.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Na verdade comecei recentemente e minha primeira história é a razão desta entrevista. Meu primeiro conto foi aprovado logo de início, e claro fico muito agradecido pela oportunidade.10. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

Acho bem interessante, tem muita gente publicando livros no últimos tempos, seja de forma independente ou não. Os escritores estão divulgando mais seus trabalhos por blogs, há muita coisa para todos os gostos. Claro que alguns são ótimos e outros nem perto disso, mas não compete a mim julga-los, há gostos e gostos né, cada novo leitor que fique à vontade de tirar suas conclusões e opiniões.

  1. Recentemente surgiram várias pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Acho positivo, é preciso que haja variedade, nada mais triste que entrar em uma livraria por exemplo e não encontrar mais de 3 títulos. É necessário ter mais opções o resto é com o público. E se há muitas novas publicações então quer dizer que há muitos novos leitores, e isso é fundamental para o crescimento e enriquecimento para educação do nosso país.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

Acho que falta uma certa consideração com o mercado editorial. Muitos títulos tem valores que infelizmente hoje não condizem com o salário mínimo do país, acaba se tornando muito difícil adquirir um exemplar. Fala-se muito em apoiar a literatura brasileira, porém faltam iniciativas reais neste sentido.

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

Acho que no momento seria O Colecionador do John Fowles.

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria?

Com certeza seria Save Me – Avenged Sevenfold, essa música serve de trilha sonora para todas minhas histórias no momento hehe.

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

Acredito que cada livro novo que leio é o livro da minha vida, sempre um universo novo, sensações novas, e aprendizados novos. Todos eles são especiais.

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Estou trabalhando em alguns contos novos de terror, quero participar do segundo livro dessa trilogia Prenuncio do Medo. E venho trabalhando em uma história bem maior também, histórias de demônios, espíritos, criaturas inimagináveis, coisas do gênero.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Me mantenho atualizado sempre que posso sobre as tendências do mercado. Acho que são bastante uteis e interessantes.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Voltamos mais uma vez a ele Stephen King.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

Para mim é poder exorcizar meus demônios através das minhas histórias, e saber que minha escrita, minha imaginação, meus monstros foram apreciados por outras pessoas.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

É interessante buscar sua voz própria, não desanimar diante as dificuldades. Lembre-se que você nunca será um bom escritor se não for um bom leitor. Leia muito, até mesmo para se inspirar.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here