1. Fale-nos um pouco de você. 

Sou escritora há muitos anos. Na verdade, escrevo desde a adolescência. Comecei com contos, e participei de diversas antologias na editora de uma grande amiga. Ela me inspirou a escrever meu primeiro livro, que foi lançado em 2008, e depois disso não parei mais. Tenho na Amazon 26 romances, fora os que lancei anteriormente e que não coloquei no formato de ebook.

  1. O que você fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?
    A inspiração veio quando estava no colegial, depois ter lido um livro pelo qual me encantei. “Memórias póstumas de Brás Cubas”.  Sou engenheira civil e contínuo na ativa, pois isso é o que mais amo fazer. Escrever é apenas uma terapia para mim.
  2. Qual a melhor coisa em escrever?
    Para mim é quando recebo elogios sobre o tema escolhido.
  3. Você tem um cantinho especial para escrever? (Envie-nos uma foto)

Não tenho cantinho especial. Escrevo em qualquer lugar, basta vir uma inspiração.

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

 Gosto de romance e nunca pensei em mudar.

  1. Fale-nos um pouco sobre seu (s) livro (s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?
    Faço muitas pesquisas antes de escrever, pois gosto de levar verdades. Quanto a títulos e nomes de personagens, faço buscas de acordo com o país no qual estou citando.
  2. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

Todo tipo de pesquisa. Nomes, lugares, fuso horário, tempo de voo etc.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Nunca me inspirei em ninguém. Escrevo sobre atualidades, coisas que ouço ou vejo.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Nunca tive problema com publicação.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?
    Estamos caminhando a passos lentos, ainda. Nossa gama de escritores só faz aumentar, em contrapartida o nível de escrita degringolou. Muitas histórias parecidas, que só mudam os personagens.
  2. Recentemente surgiram várias pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Creio que todo mundo se considera escritor. Basta ver o que temos por aí. Para ser um escritor precisa ter dom. Temos muitos livros ruins hoje, e sempre com o mesmo tema.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

Sempre achei muito caro. Livrarias ganham muito em cima do autor, e por isso só lanço em e-book.

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

Gostaria de ter mais tempo para escrever um livro sobre as deusas do Olimpo. Amo demais este tema, mas precisaria de muita pesquisa.

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria?

Já tive várias músicas que coloquei com tema, hoje não me apego mais nisso.

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?
    Não neste patamar. O livro da minha vida eu mesma escreveria.
  2. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Não acompanho nada, pois só nos sabemos o quanto é difícil escrever um livro, e ouvir críticas não faz parte do pacote. Cada qual em seu metro quadrado.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Nossa! São tantos, que nem me arriscaria dar um nome.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

Falo por mim. A minha maior alegria é quando elogiam a história, e a escrita.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

Se conselho fosse bom, venderíamos. Só posso dizer que escrever não é uma brincadeira e muito menos uma profissão. Temos de escrever com a alma, e nunca esperar retorno financeiro, ou críticas favoráveis.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here