1. Fale-nos um pouco de você.

Sou um homem de vida simples, apegado a minha família e aos meus filhos, uma princesa de 5 anos e um garotinho que esta para nascer em setembro, gosto de ler e aproveitar as coisas boas que deus deixou nesse mundo para nós.

  1. O que você fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

Sou engenheiro civil e trabalho com obras prediais, minha inspiração para escrever meu primeiro livro “A Ordem do Faraó” veio de um sonho que tive, logo após acordar comecei a escrever e não parei mais. 

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

Escrever tem a capacidade de nos transportar para um mundo onde tudo é possível, nos faz capaz de criar o impossível e ver que ele se torna possível na imaginação de quem lê, isso pra mim é o mais legal em escrever.

  1. Você tem um cantinho especial para escrever? (Envie-nos uma foto)

Sim, escrevo em meu escritório em casa.

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

Escrevo romances de ficção e policiais, e alguns contos de terror. Estou me aventurando na poesia, mas é um gênero muito complicado pra mim.

  1. Fale-nos um pouco sobre seu (s) livro (s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

Meu livro conta a historia de três jovens que moram em partes distintas do mundo, México, Polônia e Inglaterra, eles vivem sem saber envoltos por uma Ordem Secreta criada pelo faraó Quefrén o construtor das pirâmides. Essa ordem tem a função de esconder um grande poder e a partir do momento em que eles descobrem essa organização, partem numa epopeia em busca de respostas sobre o que poderia ocorrer se esse poder fosse descoberto. O titulo é o que normalmente eu coloco por ultimo no livro, sou péssimo em títulos. Meus personagens normalmente eu procuro dar nomes regionais fortes e marcantes para grudarem na cabeça do leitor.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro? 

    Normalmente eu faço uma pesquisa histórica e geográfica, busco lugares interessantes e imagino a cena acontecendo naquele lugar, hoje com o advento da tecnologia ficou mais fácil escrever historias que se passam em outros países.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Gosto de Dan Brown, Sydnei Sheldon e Edgar Alan Põe são minhas principais inspirações.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

Ainda não tive essa dificuldade, mas penso em tentar uma auto publicação num próximo projeto.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

Acho que é um cenário em formação, que a literatura brasileira está em um processo de transição entre os grandes mestres e a nova geração que ainda está galgando seu espaço.

  1. Recentemente surgiram várias pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Bom hoje em dia tudo está mais fácil, e existem muitas editoras que se propõem a publicar qualquer coisa desde que o suposto escritor pague o preço sem qualquer filtro editorial, partindo desse pressuposto nem tudo que é publicado tem qualidade, há muitas cópias descaradas de series e livros consagrados. Mas por outro lado existem historias muito boas e escritores de raro talento surgindo nesse meio o que tende a levar o cenário ao equilíbrio.

  1. Qual sua opinião sobre os preços elevados dos livros nacionais?

Infelizmente tudo no Brasil é caro, os preços elevados são uma grande barreira para o leitor, principalmente o iniciante que ainda não foi fisgado pela leitura. Espero que em breve a carga tributaria brasileiro tenha uma diminuição e o governo crie incentivos a pratica da leitura.

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

“O código da Vinci” de Dan Brown

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da música + cantor)

Back in Black do ACDC

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

O livro que mais me marcou até hoje foi “A cabana” do Willian P Young, que mudou muito a maneira de eu ver a minha espiritualidade.

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Sim, estou escrevendo um romance Policial chamado “A sociedade do Corvo Branco”, além de alguns contos que estão para sair em antologias diversas, no mais quero continuar escrevendo e evoluindo.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Sim, eu acompanho e inclusive tenho vários como parceiros, acho importante como ferramenta de divulgação e de critica, principalmente para os autores iniciantes que não tem acesso aos grandes críticos literários para apreciar nossa obra, eles conseguem fazer uma ponte bem interessante entre o autor e o leitor.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Dan Brown com certeza!!!

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

Ver o leitor imergir no universo que escrevo, e naquela imersão ele se vê conectado aos personagens, aos lugares e aos sentimentos, durante aquele tempo em que ele lê, você consegue toca-lo de forma positiva. No fim tudo isso se resume em um “Amei seu livro” ou “Que historia sensacional”. Essa é a maior alegria para um autor.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

Escrever acima de tudo tem a ver com sentimento, e às vezes não há nada melhor para expressar esse sentimento do que em palavras escritas, é uma porta que te liberta.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here