Mylena Araujo

0
727

  1. Fale-nos um pouco de você.

Bom, sou tímida, mas também sou metade chapeleiro maluco e um pouco do coelho que está sempre atrasado. Sou virginiana, possessa por limpeza, amo livros e a essência que cada um carrega em suas páginas. Porque para mim, eles são muito mais do que apenas livros. Ah! Quase esqueço. Minha vida não seria completa se não pudesse passar para o papel tudo e todas as coisas que me inspiram. Eu definitivamente nasci para ser escritora.

  1. O que vc fazia/faz além de escrever? De onde veio a inspiração para a escrita?

Atualmente, curso a faculdade de Recursos Humanos, estudo Escrita Criativa e trabalho apenas com meus escritos. A minha inspiração surgiu em meados de minha adolescência, quando ainda lutava no ensino fundamental. Um dia, sem que ninguém me visse, entrei na biblioteca e peguei um livro “qualquer”. Não era um livro qualquer, porque a história dele mudou minha vida a partir de então. Foi nesse mesmo dia que meus primeiros rascunhos de minha obra mais recente surgiram. E sou grata pela escola ter inaugurado um cantinho especial para alunos que, assim como eu, eram, são fascinados pelo mundo da literatura.

  1. Qual a melhor coisa em escrever?

Puxa! Tem tantas coisas boas em escrever. Mas acho que o meio pelo qual nós podemos viver na pele de cada personagem é a melhor parte. Sentimos o que eles sentem, sofremos com eles, sorrimos com eles, morremos com eles e retornamos com eles. É gratificante quando você consegue dar vida a uma personagem e essa mesma personagem toca milhares de pessoas.

  1. Você tem um cantinho especial para escrever? (envie-nos uma foto)

Meu lugar especial é o próprio silêncio e minhas músicas. Só preciso deles e da minha cabecinha que não para de ter ideias.

  1. Qual seu gênero literário? Já tentou passear em outros gêneros?

Com 17 anos decidi que escreveria apenas suspense. Foi a declaração mais falsa do século 21. Eu praticamente escrevo sobre quase tudo, já publiquei romance de época, romance policial e meu mais recente, Valera, de fantasia. Ano passado entrei no mundo da ficção-científica no Wattpad. Mas, por algum motivo, toda vez que crio algo no gênero do terror, sinto algo esquisito e pauso a história, porque, simplesmente, o medo não me deixa continuar. Eu sei, trágico!

  1. Fale-nos um pouco sobre seu(s) livro(s). Onde encontra inspiração para título e nomes dos personagens?

Ah, meus livros! Meus filhos! Na verdade, o título de cada história vai mudando a partir que aprofundo o enredo ao longo dos capítulos. Então nunca vou saber o título até que eu termine a história por completo. Em relação aos personagens, sempre procuro encontrar nomes diferentes e que não foram usados em livros já publicados, não gosto de repetição. Às vezes, só às vezes, me inspiro em alguém da vida real para criá-los.

  1. Qual tipo de pesquisa você faz para criar o “universo” do livro?

Minhas pesquisas são quase todas pela cabeça de minha mãe e irmãos, porque minhas histórias são sempre baseadas em sonhos ou pesadelos que eles me contam. O mais engraçado disso tudo é que não sonho com quase nada legal, rsrsrs.

  1. Você se inspira em algum autor ou livros para escrever?

Eu leio muitos livros, de todos os gêneros, tenho autores que admiro bastante. Mas quando estou escrevendo, nunca sei em quem estou me inspirando. Não costumo colocar essa “meta” na cabeça, é mais simples você dar vida a sua história se não pensar em quem quer ser quando crescer, digamos assim.

  1. Você já teve dificuldade em publicar algum livro? Teve algum livro que não conseguiu ser publicado?

No início da minha carreira tive certa dificuldade em publicar pela primeira vez. Recebia muitos nãos de editoras que se intitulavam rainhas do mercado literário e que não se dispunham em dar uma chance para novas mentes. Mas nunca fiquei sem publicar um livro, todos que escrevi foram lançados e sou grata por isso.

  1. O que você acha do novo cenário da literatura nacional?

Ainda há um certo preconceito com a literatura brasileira, muitos ainda preferem dizer que autores nacionais não escrevem tão bem quanto um autor estrangeiro. O que não é verdade! Temos tantos escritores talentosos e cheios de ideias, e surgem mais a cada dia. As plataformas de leitura online não me deixam mentir. O cenário ainda é de minoria, mas juntos podemos trazer de volta o prazer da leitura para nossos jovens… para nosso país.

  1. Recentemente surgiram várias pessoas lançando livros nacionais, uns são muito bons, outros nem tanto, outros são até desesperadores, o que você acha sobre este boom?

Não devo opinar, hahaha! O que eu acho é que cada um tem seu livro especial, ou seja, nem toda história agrada a todos.

  1. Qual livro você falaria: “queria ter tido esta ideia”?

Tudo e todas as coisas, de Nicola Yoon. É uma história tão cativante e cheia de significados que é quase impossível você não sentir essa vontade de ter tido a ideia primeiro, embora, tenha tido anos atrás, mas não teve coragem de mostrar a alguém ou de continuar, no meu caso.

  1. Se tivesse que escolher uma trilha sonora para seus livros qual seria? (nome da musica + cantor)

Ual!!! Eu não faço ideia, não sou muito boa com músicas. Eu só as ouço em volume máximo e deixo a letra me levar para dentro da cabeça do cantor. Essa é uma pergunta que não terei a resposta tão cedo.

  1. Já leu algum livro que tenha considerado “o livro de sua vida”?

Como disse anteriormente, já li muitos livros, mas ainda não encontrei “o livro da minha vida”. Quem sabe, um dia desses, entre minhas andanças pelas livrarias, eu não encontre? Quero muito!

  1. Você tem novos projetos em mente? Se sim, pode falar sobre eles?

Tenho, sim! Estou para assinar contrato para publicação do livro físico de minha história que publiquei ano passado no Wattpad, “A Sombra de um outro Mundo”, sci-fi. Com a ajuda dos meus betas estou recriando novos cenários, capítulos e algumas novas surpresas. Em breve teremos novidades e os leitores vão amar os brindes.

  1. Você acompanha as críticas feitas por blogueiros nas redes sociais? O que você acha sobre isso?

Estou sempre de olho, sim. Gosto de estar por dentro das notícias mesmo quando não estou a par de tudo. As críticas construtivas são sempre bem-vindas, claro. Entretanto, sempre tem aquela “treta” de opiniões negativas que só servem para acabar com o emocional do fulano. Não acho isso legal, fazer pouco do trabalho dos outros.

  1. Se pudesse escolher um leitor para seu livro (escritor, alguém que admire) quem seria?

Como personagem? Nossa, deixe-me pensar… talvez, Clarice Lispector. Sim, seria ela. Admiro muito sua forma de pensar e escrever, ela seria uma incrível personagem.

  1. Qual a maior alegria para um escritor?

Saber que sua história está sendo lida e que de alguma forma, ela toca os leitores lá no fundo do coração.

  1. Deixe uma mensagem a nossos leitores e para aqueles que estejam iniciando no mundo da escrita literária.

“Eu sei que nem tudo está fácil em nossas vidas, mas pensar em desistir é absolutamente devastador. Nunca desista! Não importa o quão longe seja a estrada, siga em frente, o alto da colina é logo ali”.

O meu obrigada pela oportunidade de participar de uma entrevista tão fantástica. Um grande abraço para todos!

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here