Prato do Dia: Vingança – Jonas Zair

3
486

 

“[…] fizeram a escolha errada de machucar alguém como eu”.

(Jonas Zair, in: Prato do Dia: Vingança, 2019)

 

 “Sempre fui legal, mas nunca consegui lidar com quem me machuca”.

(Jonas Zair, in: Prato do Dia: Vingança, 2019)

 

O que poderia ser melhor do que um fim de semana em companhia da namorada e amigos na sua casa isolada em meio à natureza? Pouca coisa seria mais bucólica e revigorante se as 17 páginas do conto “Prato do Dia: Vingança” não fosse escrita por Jonas Zair.

O autor de “Relatos de Sangue” e “O Telefonema que não Fiz” não dá folga aos seus personagens com uma escrita ágil, que faz o leitor se arrepiar com os planos para esse retiro entre amigos.

No clássico “O Conde de Monte Cristo”, o autor Alexandre Dumas diz que:

“A vida é uma tempestade, meu amigo. um dia você está tomando sol e no dia seguinte o mar te lança contra as rochas. O que faz de você um homem é o que você faz quando a tempestade vem”.

Charles, o jovem proprietário da cabana e protagonista de “Prato do Dia: Vingança”, é dono de uma personalidade um tanto metódica e desafia o leitor a refletir exatamente sobre o que você faria quando a tempestade chegasse a sua porta. A desforra seria um sentimento inerente ao ser humano ou um traço especifico da personalidade de certas pessoas?  Para os fãs de Jonas Zair, esse conto também nos agracia com a presença de um personagem icônico criado em “Relatos de Sangue”, seu livro de estreia em companhia de Hugo Renan. Contudo, não é necessária a leitura prévia do livro para apreciar esse novo conto.

A versão digital do conto “Prato do Dia: Vingança” já está disponível na Amazon e no Kindle Unlimited. A versão física será lançada em breve pela Editora Skull na antologia “Arquivos Insanos”.

Resenha do conto Prato do Dia: Vingança (2019) Jonas Zair, Kindle Edition, 17 p. Originalmente publicado no blog Gatita & Cia.

3 Comentários

  1. Adorei a resenha ?
    Este conto realmente é uma obra à parte do autor, que sempre nos brinda com histórias de arrepiar.

  2. Adorei a resenha ?
    Este conto realmente é uma obra à parte do autor, que sempre nos brinda com histórias de arrepiar.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here