Quem é você Alasca – John Green

0
241

Esse foi o segundo livro que leio do John Green, e me encantei por cada detalhe, “Quem é você, Alasca”, é sutil, engraçado e chega até ser melancólico.

Resenha: Miles Halter estava em busca de um Grande Talvez. Alasca Young queria descobrir como sair do labirinto. Suas vidas colidiram na Escola Culver Creek, e nada nunca mais foi o mesmo.
Miles Halter levava uma vidinha sem graça e sem muitas emoções (ou amizades) na Flórida. Ele tinha um gosto peculiar: memorizar as últimas palavras de grandes personalidades da história. Uma dessas personalidades, François Rabelais, um poeta do século XV, disse no leito de morte que ia “em busca de um Grande Talvez”. Para não ter que esperar a morte para encontrar seu Grande Talvez, Miles decide fazer as malas e partir. Ele vai para a Escola Culver Creek, um internato no ensolarado Alabama.
Lá, ele conhece Alasca Young. Ela tem em seu livro preferido, O general em seu labirinto, de Gabriel García Márquez, a pergunta para a qual busca incessantemente uma resposta: “Como vou sair desse labirinto?” Inteligente, engraçada, louca e incrivelmente sexy, Alasca vai arrastar Miles para seu labirinto e catapultá-lo sem misericórdia na direção do Grande Talvez. Miles se apaixona por Alasca, mesmo sem entendê-la, mesmo tentando sem sucesso decifrar o enigma de seus olhos verde-esmeralda.

Somos apresentados a Miles, um adolescente fissurado em saber as últimas palavras de grandes personalidades, fato que até considero interessante e curioso. Isso é tratado ao longo do livro e quando uma coisa gráfica acontece, eu acabei querendo saber quando foi a última palavra do personagem.

A vida de Miles, é bem comum, porém, isso começa a mudar quando entra para a escola Culver Creek, lá ele cria grandes amizades, que se tornaram assim de tudo, verdadeiras. Essas amizades são as partes engraçadas dos livros, porém em certo momento mostra os conflitos da adolescência.

E nesta escola Miles, conhece Alasca, uma garota feita de simplicidade, incerteza e mistério. Com a leitura, já sabemos do que pode acontecer com a protagonista. Mas ao ler eu sempre esperei o que vinha “depois”, confesso que me esperava outra faceta do livro, mas ao ler entendi que foi o foco proposto pelo autor era diferente.

Com uma narrativa fluida e dinâmica, John Green mostra o porquê de ser tão querido pelos leitores, espero ler mais dele ao longo da vida. Dei nota 4,5/5 no meu Skoob, tenho a edição de 10 anos da Editora Intrínseca que tem 336 páginas, onde além da história, ele acrescenta pequenos trechos extras e entrevista com o autor. A diagramação está no ponto exato, onde ajuda ainda mais a leitura.

Até a próxima.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here