Suicidas – Raphael Montes

0
192

Trago para vocês o relançamento do primeiro livro do brilhante autor nacional, Raphael Montes e confesso que é brilhante, ainda bem que li depois de todos os outros, vocês vão entender ao longo da resenha.

 Sinopse: O PRIMEIRO ROMANCE DO JOVEM AUTOR QUE SE FIRMOU COMO PRINCIPAL NOME DO NOVO SUSPENSE BRASILEIRO.

Antes que o mundo pudesse sonhar com o terrível jogo da baleia azul, que leva jovens a tirara própria vida, ou que a série de televisão 13 Reasons Why fosse lançada e set ornasse o sucesso que é hoje, Raphael Montes, então com 22 anos,já tratava do tema do suicídio entre jovens, com a ousadia que virou sua marca registrada. Em seu primeiro livro, que a Companhia das Letras agora relança acrescido de um novo capítulo, conhecemos a história de Alê e seus colegas, jovens da elite carioca encontra dos mortos no porão do sítio de um deles em condições misteriosas que indicam que os nove amigos participaram de um perigoso e fatídico jogo de roleta russa. Aos que ficaram, resta tentar descobrir o que teria levado aqueles adolescentes, aparentemente felizes e privilegiados, a tirar a própria vida. Para isso, contamos com os escritos deixados por Alê, um narrador nada confiável.

 A sinopse nos apresenta nove amigos que cometem suicídio através de uma roleta-russa, elaborada pelo próprio grupo de amigos, já começo explicando que o livro possui três tipos de narração ao longo da história. Uma no futuro, onde aconteceu meses após o atentado, outra no passado, que serve para conhecemos melhor os personagens e o “presente” onde um dos integrantes do grupo escreveu toda a trajetória até o fatídico suicídio.

 Essa linha dinâmica é fundamental para o livro, além de possuir criatividade para dar um desenrolar na trama. Composto de frieza e mais uma vez me fez pensar até onde o ser humano pode ser perturbado e sádico.

 A história apesar de ter passado e futuro, a base dele é de apenas um dia. Não me lembro de um livro que passava apenas em um dia, e a experiência foi boa. Os personagens são bem construídos e o livro é bem pensado, apenas em um detalhe que fiquei com dúvida, mas isso não mudou em nada a minha opinião, só me deixou mais curioso.

 Não há muito o que dizer sem começar a dar spoiler, mas confesso que me surpreendi com o final, e só com ele eu coloquei mais meia estrela no Skoob, realmente fiquei com o cabelo em pé. Eu possuo meu exemplar autografado pelo autor e ele escreveu uma dedicatória para mim, e ao ler, eu ficava ao longo da leitura achando uma teoria para as palavras ali escrita, mas ao terminar, vi que até ali ele me enganou.  – O que ele escreveu? Simples assim: “- Vinicius, não tenha medo de mim”. E confesso é difícil não ficar.

 A companhia das letras, como sempre fez um excelente trabalho de edição, o livro possui 430 páginas, classifiquei no meu Skoob com 4,5/5 estrelas. Espero que tenha fica com vontade de ler esse livro, pois uma excelente pedida para o gênero.

signature

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here